Declaração IR 2020 – Veja os riscos de deixar a entrega para a última hora

A Receita Federal alterou a data máxima para entrega da declaração IR 2020, em resposta a crise provocada pela pandemia do coronavírus. O prazo passou de 30/04 para 30/06.

Apesar já ter passado o prazo original para entrega, a Receita Recebeu menos da metade das declarações que espera receber.

A despeito da alteração, nós, brasileiros, não deixamos de lado o velho hábito de deixar tudo para a última hora. No caso do preenchimento e entrega da declaração IR esse comportamento pode acarretar em prejuízos financeiros e ter sua declaração retida na malha fina.

Escrevemos este post para mostrar os riscos aos quais o contribuinte está sujeito ao deixar para enviar a declaração IR 2020 no limite do prazo e conscientizar sobre importância de se preparar com antecedência. Continue conosco e confira.

declaração ir 2020
Consequências de não declaração ir 2020 dentro do prazo

Consequências de deixar a entrega da declaração IR 2020 para a última hora

As principais consequências quando deixamos para preencher e entregar nossa declaração para o último prazo são:

  • Pressa no preenchimento acarretando o envio da declaração incompleta e/ou com erros;
  • Não conseguir encontrar e juntar os documentos necessários;
  • O sistema da Receita sempre fica lento nas últimas do prazo devido à sobrecarga;
  • Quanto mais tarde fizer a declaração mais tarde você recebe a restituição;
  • Ter que pagar multa.

Erro no preenchimento da declaração

O ditado popular diz: “A pressa é inimiga da perfeição”. Isso também se aplica ao preenchimento da declaração. Quando fazemos com pressa são grandes os riscos de errarmos no preenchimento de alguma informação ou deixar de informar algo importante, e qualquer centavo a menos ou a mais pode levar sua declaração a ficar retida na malha fina.

Se você preencheu sua declaração errada será necessário fazer uma correção ou declaração retificadora com as informações corretas. Importante lembrar que não existe limite de quantidade de declarações retificadoras.

Não juntar toda documentação

O primeiro passo para o preenchimento da declaração e reunir os documentos necessários ao preenchimento, e isso deve ser feito com calma pois é através dessa documentação que as informações serão preenchidas com exatidão.

Deixando para a última hora você pode não conseguir reunir o que é preciso, não restando tempo para solicitar a segunda via ou até mesmo perceber que as informações contidas estão com algum tipo de erro.

Além de correr o risco de perder o prazo de entrega, corre-se o risco de ter prejuízo financeiro pois a falta de informações impede deduzir despesas, tais como: despesas médicas e com educação.

Problemas com a conexão e problemas tecnológicos

Grande parte dos contribuintes deixam para transmitir a declaração nas últimas horas do prazo final. Esse tráfego sempre gera lentidão no site da Receita e pode levar à perda no prazo.

Podem surgir outros imprevistos aos quais todos estão sujeitos: problemas na conexão com a internet (muita gente acessando ao mesmo tempo deixa a internet lenta), problemas técnicos em seu computador ou celular ou até mesmo interrupção no fornecimento de energia elétrica. Todos esses problemas podem dificultar a entrega da declaração.

Recebimento da restituição

Quanto mais cedo você entregar sua declaração mais cedo receberá sua restituição assim como quem entrega por último também será o último a receber. Isso acontece porque a Receita analisa as declarações por ordem de entrega.

O cronograma de restituição do Imposto de Renda deste ano terá apenas cinco lotes ao contrário dos anos anteriores que pagava as restituições em sete lote. Cabe ressaltar que o cronograma não sofreu alteração em virtude da Pandemia.

Confira a seguir as datas programadas:

  • 1º lote: 29 de maio de 2020
  • 2º lote: 30 de junho de 2020
  • 3º lote: 31 de julho de 2020
  • 4º lote: 31 de agosto de 2020
  • 5º lote: 30 de setembro de 2020

Multa por perda do prazo

Se você é obrigado a declarar, mas não entrega dentro do prazo estipulado pela Receita Federal, saiba que você terá que pagar uma multa que varia de R$ 165,74 podendo chegar a 20% do valor devido.

Contudo esse não é o único problema. Quem não entrega dentro do prazo fica com o nome “sujo” e com o CPF em situação “irregular”. Sendo assim fica impedido de participar de licitação pública, prestar concurso público, tirar o passaporte, contratar empréstimos, obter certidão negativa para compra ou aluguel de imóvel. Essa situação dura até a completa regularização que é a entrega da declaração e o pagamento da multa.

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
%d blogueiros gostam disto: